A Circumambulação da Montanha

O Monte Arunachala parece uma única montanha com um pico bem definido, mesmo quando vista de vários lugares diferentes. Da mesma maneira, o ensinamento de Ramana Maharshi é descrito por muitos como algo que aponta para o pico único da “Autoinvestigação”, com ênfase na separação da ideia “eu sou o corpo”. Mesmo que Arunachala pareça composta de muitas montanhas, cada uma com seu pico distinto, o ensinamento de Ramana Maharshi também parece destacar muitas práticas espirituais diferentes. Uma delas é a circumambulação do Monte Arunachala – um percurso de cerca de 14 quilômetros.

O ato de circumambular a Montanha é chamado de Giri Pradakshina. Pradakshina significa o ato de caminhar ao redor de qualquer lugar sagrado na direção horária, com o lado direito da pessoa voltado para o objeto da adoração. “Giri” significa montanha; então, Giri Pradakshina significa a circumambulação da Montanha Arunachala.

Em My Recollections of Bhagavan, Devaraja Mudaliar afirma:

“No entanto, minha indolência era tanta, e talvez em certa medida também meu senso arrogante de sabedoria, que mesmo depois de passar a morar no Ashram como residente permanente, eu não circumambulava a Montanha como a maioria fazia, o louvor mental bastava, sem as austeridades físicas como caminhar quatorze quilômetros descalço. Porém, com base em tudo que vi e escutei, achei que esse Pradakshina devia ter algo de realmente importante. Então, eu perguntava insistentemente a Bhagavan se era importante se dar ao trabalho de fazer aquilo. O trecho a seguir passa uma ideia geral do que escutei na minha conversa com Bhagavan sobre esse tema.

‘Faz bem para todos circumambular a Montanha. Não importa se a pessoa tem fé nesse Pradakshina ou não, assim como o fogo queima todos aqueles que o tocam, quer a pessoa acredite ou não nele, a Montanha beneficiará todos aqueles que derem a volta nela.’ Uma vez, ele me disse: ‘Por que você está tão preocupado com todas essas perguntas sobre a eficácia de circumambular a Montanha? O que quer que você obtenha ou deixe de obter, pelo menos o exercício físico lhe fará bem.’

Bhagavan achou que pelo menos aquilo ficaria claro para o meu lento intelecto. Em outra ocasião, ele me disse: ‘Circumambule a Montanha uma vez. Você verá que ela o atrairá.’ Também vi que, para todos que chegavam e diziam a Bhagavan que iam começar o Pradakshina, por mais velha ou fraca que a pessoa fosse, Bhagavan nunca desestimulava a ideia, e no máximo comentava: ‘Você pode ir devagar’.

Hoje eu acredito no Giri Pradakshina assim como qualquer outro devoto de Bhagavan, mas regulo a frequência das minhas voltas em função da minha idade, saúde, força e do esforço que posso fazer.”

Lago Samudram

Em Letters from Sri Ramanasramam, lemos que Sri Bhagavan disse: “A grandeza desse Giri Pradakshina foi descrita detalhadamente no Arunachala Puranam. O Senhor Nandikesa perguntou algo parecido a Sadashiva, e Sadashiva fez a seguinte narração: ‘Circumambular a Montanha é bom. A palavra ‘Pradakshina’ tem um significado típico. A palavra ‘Pra’ significa a remoção de todos os pecados; ‘da’ significa realizar desejos; ‘kshi’ significa a libertação de futuros nascimentos; ‘na’ significa dar a salvação por meio de Jnana.” Na verdade, é difícil descrever o prazer e a felicidade que se obtém com esse Pradakshina. O corpo se cansa, os órgãos sensoriais perdem sua força, e todas as atividades do corpo passam a ser interiores. Assim, é possível se esquecer de si mesmo e entrar em um estado meditativo. À medida que a pessoa continua caminhando, o corpo automaticamente se harmoniza como em uma postura de ioga – asana. Consequentemente, a saúde do corpo melhora. Além disso, há inúmeras variedades de ervas medicinais na Montanha. O ar que passa através dessas ervas faz bem para os pulmões”.

Menu